20081231

Ano Novo de Amor e Paz!

Abre o coração
Deixa que ele solte todo o Amor que aprisiona!

Deixa egoísmos e,
com as tuas cores,
vem ajudar a construir um arco-íris de Amor e Paz
que envolva a Terra inteira.

A Paz é de quem a faz
O Amor é de quem se dá!

Que assim tenhas um 2009
repleto do que mais desejas!

_______________________

Deve haver um lugar dentro do teu coração
Onde a paz brilhe mais que uma lembrança
Sem a luz que ela traz já nem se consegue mais
Encontrar o caminho da esperança

Sinta, chega o tempo de enxugar o pranto dos homens
Fazendo-te irmão e estendendo a mão

Só o amor, muda o que já se fez
E a força da paz junta todos outra vez
Venha, já é hora de acender a chama da vida
E fazer a terra inteira feliz


Se você for capaz de soltar a sua voz
Pelo ar, como prece de criança
Deve então começar outros vão te acompanhar
E cantar com harmonia e esperança

Deixe, que esse canto lave o pranto do mundo
Pra trazer perdão e dividir o pão

Só o amor, muda o que já se fez
E a força da paz junta todos outra vez
Venha, já é hora de acender a chama da vida
E fazer a terra inteira feliz


Quanta dor e sofrimento o mundo ainda tem,
Pra manter a fé e o sonho dos que ainda vêm.
A lição pro futuro vem da alma e do coração,
Pra buscar a paz, não olhar pra trás, com amor

Se quiseres começar outros vão te acompanhar
E cantar com harmonia e esperança.

Deixe, que esse canto lave o pranto do mundo
Pra trazer perdão e dividir o pão



20081225

Oh, Jesus, renova o nosso espírito neste Natal!

Somos só peregrinos na viagem da vida,
Uns caminham nas trevas, outros seguem a luz.
Trazemos tesouros junto ao coração,
Alguns vão e outros nunca nos deixarão.
Algures na caminhada encontramos o Rei
que nos transformou, a Ele damos tesouros.

Homens sábios procuram e seguem a estrela,
Que os guia a Jesus, vindos de longe.
Dos fortes das nações aos pobres da terra,
Todos juntos proclamam:
Jesus nasceu.

Às vezes não damos lugar dentro de nós,
esperanças e sonhos todos sem Jesus.
Caminhamos às voltas sem encontrar saída,
Eis a estrela no Céu a brilhar como o dia.
Ele encontra lugar nos corações mais duros,
segreda "Eu te amo", "Não te abandonarei".

Homens sábios procuram e seguem a estrela,
Que os guia a Jesus, vindos de longe.
Dos fortes das nações aos pobres da terra,
Todos juntos proclamam:
Jesus nasceu.

Estrela de Belém brilha esta noite,
Leva-nos, guia-nos, à sua luz perfeita.
Oh, vem Jesus, pedimos-te "fica",
Renova o nosso espírito neste Natal.

Somos só peregrinos na viagem da vida,
saímos das trevas agora vemos luz.
Trazemos o tesouro mais precioso que o ouro,
a vida eterna, sua graça nós temos.
Um dia estaremos aos pés do Rei,
Juntos com os anjos, louvando a Deus.

Homens sábios procuram e seguem a estrela,
Que os guia a Jesus, vindos de longe.
Dos fortes das nações aos pobres da terra,
Todos juntos proclamam:
Jesus nasceu.

(Homens Sábios Procuram)
(Wisemen Still Seek Him - Lynn Cooper)



Wisemen Still Seek Him.wma

Wisemen Still Seek Him (Mais aqui)


Saibamos ser sábios!
Deixemos-nos guiar pela Luz!
Um Salvador nasceu para nós!

20081220

Natal também é...

Um dia em cheio para os grupos de catequese, de jovens e escuteiros de três paróquias vizinhas que se juntaram ao apelo do mesmo pároco.

O tempo ajudou a uma manhã inteira de jogos tradicionais ao ar livre, que pôs miúdos e graúdos a mexer (Lili, manda-me as fotos das minhas figuras tristes...) e que abriu o apetite ao almoço partilhado, ao qual se seguiu a Eucaristia muito festiva. Para as despedidas, algumas actuações em palco e... mais uma que eu não sabia:

Natal é ah, ah, ah
É ih, ih, ih
É oh, oh, oh
Natal é não estar lá
É estar aqui
É não estar só

Natal é uma criança
Que sozinho risca o chão
Natal é a Joana
É o Pedro e o João

Natal é dar um beijo
Pela manhã ao pai e à mãe
Natal é dar amor
A quem o quer e não o tem.

Natal é lá na escola
Quando todos dão a mão
E abrem a sacola
E repartem o seu pão
__________________

Façam por viver um Santo e Feliz Natal!

20081214

O meu Natal tem Jesus

"Querem roubar-Te o Natal, Senhor.
Querem ficar com a festa,
mas não querem convidar o festejado.

Querem a árvore de Natal, mas esquecem a sua origem;
querem dar e receber presentes,
mas esquecem os que os Magos Te levaram a Belém;
querem cantos de Natal,
mas esquecem os que os Anjos Te cantaram naquela noite abençoada.
Até a São Nicolau o disfarçaram de "pai Natal".

Querem as luzes e o feriado, o peru e as rabanadas;
Querem a Ceia de Natal
mas já não vão à Missa do Galo,
nem Te adoram feito Menino nas palhinhas do Presépio.

Quando se lembram estas coisas e o facto que lhes deu origem
diz-se que "o Natal é todos os dias",
mas não se dispensa esta quadra de consumo e folguedos.

No meio de toda esta confusão deseja-se a paz e a fraternidade,
mas esquecem que só Tu lhes podes dar.

E a culpa de tudo isto ser assim… é também minha
que alinho nesta maneira pouco cristã de celebrar o teu nascimento.

Se desta vez eu der mais a quem tem menos
e comprar menos para quem já tem quase tudo…
se em vez de me cansar a correr de loja em loja
guardar esse tempo para parar diante de Ti…

Se neste Natal fores mesmo Tu a razão da minha festa…
as luzes e os cantos, o peru e as rabanadas, os presentes
e até o Pai Natal
me falarão de Ti e desse gesto infinito do Teu Amor
de teres vindo ao meu encontro nessa noite santa do teu Natal."

(Rui Corrêa d'Oliveira – "Bom dia" – Canal Sim RR – 08.12.2008)


20081208

Sobe... sobe...

Sobe à montanha... para orar.

Mas primeiro mete gasóleo no carro!

20081206

Desculpas

Caros amigos e visitantes,
estou aqui de fugida para pedir desculpas pala minha ausência... tanto em visitas aos companheiros da blogosfera, como das respostas aos comentários que aqui venho recebendo, embora os leia com muito carinho. Muito obrigada por comentarem os meus posts... podem comentar qualquer um dos anteriores, que os lerei sempre.
Conto ir-vos visitando e partilhar aqui tão breve quanto me for possível, mas outras prioridades se impõem.

Entretanto, convido-vos a visitar-me também em:

Sonhar que... é possível acabar com a pobreza

Retalhos e Rabiscos

Grata a todos!

20081130

Fados de Coimbra

Foi uma noite deliciosa, para desanuviar...
O fado de Coimbra pode ser nostálgico, mas aquece o espírito.

Fiz uma cova na areia
P'ra enterrar minha mágoa
Entrou por ela o mar todo
Não encheu a cova d'água

Ninguém conhece no rosto
Todo o bem que a alma inspira
A vida é gosto e desgosto
Mentira tudo mentira


(Fado da Mentira)

20081127

Um enorme susto

Quase pânico!

Há alturas em que é preciso ter sangue frio...
mas quando as chamas devoram a casa pegada à nossa, destruindo em minutos o que levou uma vida inteira a construir...
quando o rastilho vem ao nosso encontro...
a noite torna-se ainda mais noite...
o frio torna-se calor...
o calor gera frio...
e ainda agora as mãos tremem no teclado sem serem capazes de articular, com coerência, o que a alma sente.

20081123

"O Juízo final em versão light"

A propósito do Evangelho de hoje (Mt. 25, 31 - 46), um texto, com alguma ironia, para reflexão:

«No fim do mundo, o Juiz reunirá todos os que acreditaram nele, e há-de dividi-los em quatro grupos - ovelhas, cabras, cabritos e cordeiros.

À sua frente colocará as ovelhas:
aqueles que rezaram com fervor
aqueles que falaram dele com fervor
aqueles que fizeram jejuns por ele
aqueles que lhe cantaram.

E dir-lhes-á, naturalmente:
“Vinde benditos, recebei o meu Reino como herança.
É verdade que eu tive fome e sede
e vocês não fizeram nada,
mas isso também não era responsabilidade vossa:
Era responsabilidade das vossas organizações de caridade e acção social!
Não podeis ser condenados pelos trabalhos dos outros.”

Atrás de si ficam as cabras,
aqueles que não fizeram nada, que simplesmente se deixaram ir no rebanho…

E dir-lhes-á:
“Vinde benditos, recebei o meu Reino como herança.
É verdade que eu tive fome e sede
e vocês não fizeram nada,
mas foi porque estáveis distraídos com outras coisas!
E além disso, com quem mais poderia eu mostrar a minha misericórdia?”

À sua esquerda colocará os cabritos:
aqueles que fizeram parte dos grupos sócio-caritativos,
das conferências vicentinas,
das mesas das misericórdias e de IPSSs,
dos governos e das câmaras municipais e juntas de freguesia,
os que foram assistentes sociais,
os que andaram pela Cruz Vermelha
e por algumas ordens religiosas.

À sua direita colocará os cordeiros:
exactamente os mesmos do grupo dos cabritos,
com a diferença de que estes cumpriram bem o seu papel,
enquanto que os do grupo dos cabritos nem sempre o conseguiram fazer.

E dirá aos cabritos:
“Afastai-vos de mim,
Vós que tínheis a obrigação de cuidar de mim
na pessoa dos pobres
e tantas vezes não o fizestes”.

Depois dirá aos cordeiros
(se tiver sobrado alguém para este grupo):
“Apenas fizestes o que devíeis fazer,
nada mais do que a vossa obrigação.
Apesar disso, entrai,
Para que não se diga que eu não sou justo.”

Assim, reza esta versão do Juízo final,
que o modo mais seguro de alcançar o céu
é fugir de todo o compromisso social e caritativo…»

(Carlos Neves, in: Na Peugada do Bom Samaritano, Temas de Reflexão 2002/2003, Cáritas Diocesana de Coimbra)

O Senhor diz: "Eu tive fome... eu tive sede..." na pessoa daquele que estava ao pé de ti.
Viste-o e deste-lhe de comer e de beber?

Quantas vezes a resposta não será deste género?:
- Onde, onde? Não vi... não vi nada, não sei de nada... Mas isso não era problema meu! Para isso estavam lá os outros a quem isso competia...

E quantas fomes e sedes (de muitas qualidades) assim vão matando o nosso próximo, porque não vimos nada, ninguém vê nada... é tudo da competência dos outros.

20081116

O servo preguiçoso

Ele até era um homem como todos os outros. Um dia ataram-lhe as mãos, fazendo-o acreditar que era melhor assim. Com as mãos atadas não podia fazer mal nenhum. O que não lhe disseram é que assim também não podia fazer nada de bom.
Apesar da revolta que sentiu tentando desamarrar-se sem o conseguir, foi começando a adaptar-se e assim conseguiu viver com as mãos atadas.
E começou a esquecer-se que antes tivera as mãos livres.
Passaram anos, só ouvindo falar do mal que era feito por quem tinha as mãos livres.
Ninguém lhe contava era o bem que também era feito pelos homens de mãos livres.
E ele sentia-se imensamente feliz porque assim não fazia mal a ninguém.

Um dia desamarraram-no.
És livre, disseram-lhe.

Mas era demasiado tarde.
As mãos deste homem estavam totalmente atrofiadas!

(O homem das mãos atadas)
_______________

Na Parábola dos Talentos(Mt. 25, 14 - 30), da Liturgia da Palavra de hoje, um dos três servos que receberam bens do seu senhor, foi acusado de ser um servo mau e preguiçoso, por não ter colocado a render a parte dos bens que lhe coube.


Nós por vezes somos este servo quando nos acomodamos a limitações que nos impuseram ou que nós próprios nos impusemos, não fazendo força para nos libertarmos dos grilhões. Somos capazes de nos deixarmos ficar retidos em qualquer porão de luminosidade fosca, apenas para não sermos incomodados com luzes mais fortes com medo de ferir as retinas. E assim nos deixamos ficar enterrados juntamente com o nosso talento.

Somos também este servo preguiçoso quando temos connosco o talento necessário a desamarrar as mãos do nosso irmão e, não só não o desamarramos, como lhe fazemos crer que está melhor assim.

No entanto, o Senhor diz que aquele servo deveria ter arriscado o talento como fizeram os outros servos. Se tivesse arriscado e perdido, ao menos teria tentado e não seria chamado de preguiçoso.

Assim nós, o que não devemos é ficar preguiçosos a ponto de acharmos que não vale a pena o esforço de trabalharmos com os poucos talentos que temos; nem deixar que o medo de fracassar nos domine, a ponto de enterrarmos os talentos que Deus nos confiou.

"Os homens não são todos iguais em talentos; mas podem-no ser no esforço”.
__________

Irei, em confiança
Viver como lembrança
O Teu sinal de Luz
Testemunhar
Cantar a salvação
Abrir meu coração
Aí eu sinto sempre vivo
Teu chamar

Vem por aqui!
Ao teu ser Eu dei vida, formei
Em amor o teu nome chamei
Eu te escolhi!
Vem por aqui!
Vem, não temas te ensino a falar
Sou alento em teu caminhar

20081109

Creio na Igreja

"Um homem subiu para o telhado da sua casa durante uma enchente. Era um homem crente e fiel a Deus.
A água continuava a subir, e já começava a alcançar o telhado, quando resolveu orar e pedir socorro a Deus.
Deus respondeu-lhe dizendo, aguarda que já te salvarei!
Mal acabou de falar veio um homem numa canoa remando e chamou-o: Ei, entra no barco e vamos embora.
Ele olhou para a canoa que balançava na água, lembrou-se da voz de Deus e disse: Pode ir embora, Deus virá salvar-me!
Logo veio uma lancha a motor e o chamou pelo alto-falante: Ei, vamos embora que vem mais chuva!
Ele olhou para a lancha, lembrou-se da canoa balançando e da voz de Deus que lhe prometeu socorro, então disse: pode ir, Deus virá salvar-me!
E a chuva veio, e a água subia mais e mais, e ele: Deus, e Eu aqui ó!!!? já estou com água na barriga!
Então vieram os bombeiros num helicóptero, desceram uma escadinha, e gritaram: Ei, suba a escada! Ele olhou para cima, viu o helicóptero, o vento e a chuva, achou arriscado e decidiu dispensar a boleia.
Já com o nariz dentro de água orou a Deus e disse: óh Senhor! não vieste buscar-me!...
Deus então respondeu: enganas-te, mandei-te uma canoa e não quiseste, mandei-te um barco e dispensaste-o, mandei-te um helicóptero e desprezaste-o... Agora, é tarde para mandar outro meio."


Deus sempre deu meios para salvar a humanidade. Por fim enviou o seu próprio Filho, Jesus. E a Igreja é o meio que Jesus colocou ao nosso alcance para a nossa Salvação.

Porque não é possível dizer "Cristo sim, Igreja não

  • A Igreja – boa, má, medíocre, santa ou pecadora, tudo isso junto – foi e continua a ser a razão de Cristo se fazer homem e se deixar matar numa cruz.
  • A Igreja não é Cristo. Cristo é o absoluto, o fim; a Igreja, apenas o meio. O cano não é a água que passa por ele, mas o cano é que me traz a água!
  • Há alguma outra instituição que tenha feito mais em favor dos que sofrem do que a Igreja?
  • A Igreja não é perfeita. Ela é composta por homens e mulheres. A Igreja é medíocre por estar formada de pessoas como nós.
  • A Igreja é a mãe que me gerou como cristão e me continua a alimentar.
Estas são Razões para amar a Igreja


"Eu te digo: Tu és Pedro e sobre esta Pedra edificarei a Minha Igreja e as portas do inferno não prevalecerão contra ela" (Mt. 16,18)

20081101

Tudo é cansaço


(imagem algures na net)

Não me apetece dedilhar o teclado
Nem as cordas da viola...
Tudo é cansaço
Fadiga...
Cansaço!
Sim, cansaço...
Apenas cansaço acumulado.
E a vida sem pena nem dó
Avançando no mesmo ritmo cadenciado.

20081029

Vamos escrever um conto de Natal?

Ler no Ticho

20081025

Eu sou assim

O Fontez e a Carol desafiaram...
E eu lá me resolvi...

Entre outras:

Seis coisas com que me preocupo

*A vida
*A pobreza no mundo
*Os meus amigos
*A catequese
*Os meus pais
*A solidariedade

Seis coisas com que não me preocupo

*"Diz que disses" e conversas "da treta"
*Outras futilidades/certos escritos, notícias, revistas cor-de-rosa...
*Se os outros têm coisas que eu não
*Maquilhagem
*Televisão
*Estado do tempo

Seis coisas de que gosto

*Que os filhos conversem comigo sobre as suas coisas
*Jogar com o marido
*Dormir
*Ler
*Ouvir música
*Andar na estrada

Seis coisas de que não gosto

*Cobras
*Prepotência
*Arrogância
*Má educação
*Manias de grandeza
*Que tentem mandar em mim

Seis coisas que me fazem sorrir

*Um sorriso
*Uma piada
*Um dia de sol
*Saber-me amada
*Um pouco de atenção
*Uma criança educada

Seis coisas que me deixam triste

*Solidão
*Miséria
*Falta de amor
*Zangas
*Ingratidão
*Injustiças

Seis coisas que me definem

*Sorriso no rosto
*Amor/Amizade
*Perfeccionismo
*Impulsividade
*Inconformismo
*Música/Canto


E agora passo o desafio a quem se sentir tentado.

20081019

Dia Mundial das Missões



Dar a Deus o que é de Deus!

20081012

Ser grão de trigo

Se o grão de trigo não morrer na terra é impossível
que nasça fruto.
Aquele que dá a sua vida aos outros terá sempre o Senhor


Felizes seremos nós na pobreza
se em nossas mãos houver o amor de Deus,
se nos abrirmos à esperança,
se trabalharmos por fazer o bem.
Felizes seremos nós na humildade
se como crianças soubermos viver
a terra será a nossa herança, a nossa herança.

Felizes seremos se partilharmos,
se o nosso tempo for para os irmãos
para quem vive em grande tristeza
e para quem caminha em solidão.
Felizes seremos se dermos amor
se houver sinceridade em nossas mãos
poderemos sempre olhar e ver a Deus, e ver a Deus.

Felizes seremos se oferecermos paz
se denunciarmos toda opressão
se desterrarmos ódio e rancores
será mais limpo o nosso coração.
Felizes seremos na adversidade
se nos perseguirem sem terem razão
então, a vida terá sentido em Deus, sentido em Deus.


(Grão de Trigo no Youtube)

Primeira Missa das Crianças do novo Ano Catequético.Nestas Missas das Crianças, um dos principais objectivos é o de que se sintam parte integrante da Comunidade, ao participarem mais activamente, quer pelo canto, leituras, ofertório, acólitos...

Vão chegando e começando a ficar agitados, uns pelas tarefas que lhes cabem, outros pela natural irrequietude das crianças.
Mas estão ali com sorrisos estampados nos rostos. Estão ali dispostos a ser pequenos grãos de trigo na seara do Senhor!

20081008

Avancemos!



Podem, um dia, ter-te fechado uma porta.
Mas se foste conseguindo ir abrindo janelas,
afasta as cortinas e deixa entrar toda a claridade.
Imerge nessa luz que se insinua.

Já fiz a matrícula!

20081005

Fica junto a nós

As sombras se desvanecem e a noite cai,
no horizonte se desprendem
os reflexos tão distantes de um dia
que nasceu em nós e não terá fim,
porque sabemos que uma nova vida
daqui partiu e nunca mais acabará.

Fica junto a nós, em breve desce o sol,
fica junto a nós que o dia findará.
Fica junto a nós que o sol se esconderá,
se estás entre nós, a noite não virá.


Como o mar se espraia infinitamente,
o vento soprará e abrirá
os caminhos escondidos, tantos corações
hão-de ver uma nova luz clara,
como uma chama que onde passa queima,
o Teu amor todo o mundo invadirá.

À nossa volta a humanidade luta, sofre e anseia
como um deserto esta terra
está sedenta de uma chuva, de um céu azul
sem ter nuvens mas que pode dar vida.
Em Ti seremos nascentes de água viva.
E Tua luz, esta terra inundará.

-- Pauta, acordes e ouvir aqui
-- no youtube em português


Fica, Senhor, junto a nós!
Inunda-nos da tua presença
E que o meu coração em Ti encontre o refúgio.

20081002

Preciso

PACIÊNCIA



Em doses extra!!!

20081001

Frágil



Quando não se resiste à pressão!

20080920

Do Caos para Eros

game… to be [Ser]

sou quem sou
e quero ser.
sei para onde vou (?)
e espero merecer.

és quem és…
porque queres ser.
vai lés a lés…
[e]nao penses no ter.

(by Fontez - Don’t panic! The truth is… )

Não feches o coração
Se queres ser alguém
E tornar a vida melhor
És um com o mundo
Na alegria ou na dor
Na paz ou na aflição
Sozinho não és nada
Só te completas no outro, teu irmão

(by Fa menor - Partilhas em Fa menor)

A minha mensagem:
Solidão...

(música: Sarah Mclachlan - Angel)

Sarah McLachlan - Angel por ILONA0034

Este é um desafio proposto pelo Fontez.
Diz ele, e muito bem, que "cada um de nós deixa uma marca afectando os demais…"

O desafio consiste em juntar uma estrofe às já colocadas pelos participantes no jogo, e passá-las todas para outro amigo, que por sua vez lhes juntará a sua e assim por diante... formando uma corrente de "Eros num Caos".

Atrever-me-ia a pedir que cada participante juntasse ainda uma mensagem ou complemento/justificação da estrofe (facultativo).
O Fontez deixou-a num pequeno texto, eu coloquei-a sob a forma de vídeo.

E agora peço à minha recente amiga Peregrina que use a sua criatividade e se atreva!


E quem mais quiser "apanhar este barco" sinta-lhe o embalo e avance!

20080914

Olhar para a cruz de outro modo

Exaltação da Santa Cruz


Não há quem não tenha a sua cruz, quem não tenha que carregar fardos, com mais ou menos peso.
Mas olhemos bem, com olhos de ver, para a imagem de Jesus pregado na Cruz, e sintamos as suas dores. O Inocente, condenado como se fora um malfeitor, o mais reles dos assassinos.

Na Cruz de Cristo está a nossa salvação, a redenção dos nossos pecados, a nossa libertação de escravos para homens livres.
O Inocente pagou para nos remir, para que, em todos os tempos, os homens ao usarem a sua liberdade, vivam corajosamente o mandamento novo que Ele nos deixou: "Amai-vos uns aos outros como eu vos amei."

Pensemos bem na Cruz de Cristo, quando fazemos, em nós, o Sinal da Cruz, Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.

Pois é do Alto que nos vem a Paz e a Redenção.

20080912

Paz no coração




Janelas da alma franqueadas
Aos alvores do amanhecer

Asas abertas a planar
Respirando o alvorecer

Sentir o vento no rosto
É receber um sopro de Deus

O coração ainda a recordar
E a paz a chegar na brisa da manhã

20080906

Olhai...



«Olhai as aves do céu: não semeiam nem colhem...» (Mt. 6, 26)



«Olhai os lírios do campo! Não trabalham nem fiam.» (Mt. 6, 28)

«Sabemos, com efeito, que toda a criação tem gemido as dores do parto, até ao presente. E não só ela, mas também nós próprios, que possuimos as primícias do Espírito, gemendo igualmente em nós mesmos, aguardando a filiação adoptiva, a libertação do nosso corpo.


Mas na esperança é que fomos salvos. Mas a esperança que se vê não é a esperança, pois aquilo que alguém vê, como é que o espera ainda? Mas se esperamos o que não vemos, com paciência o esperamos.


De maneira semelhante é que o Espírito vem em ajuda da nossa fraqueza, pois não sabemos o que devemos pedir em nossas orações, mas é o próprio Espírito que intercede por nós com gemidos inefáveis. Aquele que perscruta os corações bem sabe qual é o empenho do Espírito, pois é em conformidade com Deus que Ele intercede pelos Santos.»

(Rom. 8, 22 -27)

«Tende coragem e animai-vos, vós todos que esperais no Senhor.»
(Salmo 30)

20080902

Tesouro escondido

«Onde estiver o teu tesouro, aí estará também o teu coração.» (Mt.6,21)










(Farol do Vulcão dos Capelinhos, Ilha do Faial)


«Onde está o coração amante?
Nas coisas que ele ama – por conseguinte, onde está o nosso amor, está cativo o nosso coração. Não pode sair, não pode elevar-se mais alto, não pode ir para a esquerda nem para a direita; está parado. Onde está o tesouro do avarento, aí está o seu coração;
e onde está o nosso coração, aí está o nosso tesouro

(S. Vicente de Paulo, Conferência sobre a indiferença, 16 de Maio 1659)

20080828

Guardo-te em mim...

Sei de cor cada lugar teu
atado em mim, a cada lugar meu
tento entender o rumo que a vida nos faz tomar
tento esquecer a mágoa
guardar só o que é bom de guardar

Pensa em mim protege o que eu te dou
Eu penso em ti e dou-te o que de melhor eu sou
sem ter defesas que me façam falhar
nesse lugar mais dentro
onde só chega quem não tem medo de naufragar

Fica em mim que hoje o tempo dói
como se arrancassem tudo o que já foi
e até o que virá e até o que eu sonhei
diz-me que vais guardar e abraçar
tudo o que eu te dei

Mesmo que a vida mude os nossos sentidos
e o mundo nos leve pra longe de nós
e que um dia o tempo pareça perdido
e tudo se desfaça num gesto só

Eu vou guardar cada lugar teu
ancorado em cada lugar meu
e hoje apenas isso me faz acreditar
que eu vou chegar contigo
onde só chega quem não tem medo de naufragar

Mesmo que a vida mude os nossos sentidos
E o mundo nos leve pra longe de nós
E que um dia o tempo pareça perdido
E tudo se desfaça num gesto só

Eu vou guardar cada lugar teu
Atado em mim, a cada lugar meu
E hoje apenas isso me faz acreditar
Que eu vou chegar contigo
Onde só chega quem não tem medo de naufragar


Mafalda Veiga - Cada lugar teu


... com nostalgia de dias tão especiais.

20080820

Inteira...


... num pedaço de terra e mar

20080814

Algures entre terra e mar




Vou
E sei que me hei-de perder
Mas vou
Levo comigo pedaços do que sou
E de partida que me sei
Inteira só serei
Quando me achar
Algures entre terra e mar

20080807

Desenhar uma pausa

No tempo da pausa não há música;
mas sem a ajuda da pausa a música não acontece.



Assim, também a melodia da vida precisa de tempos de pausas.

Não me importa que a pausa seja de semibreve ou de colcheia...
Prefiro desenhá-la em tons de azul de céu e mar!




Ao longe vê-se a ponte
O céu que muda
Entre o princípio e o fim
Ao fundo vê-se um monte
De casas velhas
De cor entre ocre e carmim
Eu espero no tempo
Algum sinal teu
Enquanto a saudade aperta
Agarro-me ao mundo
Recolho o que é meu
A ver se a vida se acerta
Naquilo que prometeu

Desenho no horizonte
Uma viagem
Que faço sem me mover
E passo sobre a ponte
Para outra margem
Onde pudesse perder
O peso dos dias
A dor do caminho
Que fica agarrada à pele
Se a vida voasse
Para além do destino
Como a cabeça nos voa
Numa folha de papel

A vida passa sempre
Tão apressada
Que pouco podes conter
Os dias são ausentes
Sabem a nada
Se te esqueceres de viver
Agarra o teu mundo
Acende os lugares
Onde se escondem os teus sentidos
E não tenhas medo
Se às vezes falhares
O que importa é o caminho
Que fica
Entre achados e perdidos
(Mafalda Veiga - Entre achados e perdidos)

20080802

Faísca

Eu sei que por vezes tenho mau feitio.
Sou brusca, impulsiva... Perante certas situações, saem assim umas coisas disparadas que, acredito, até façam doer do outro lado. E, na hora, nem me apercebo. Mas asseguro que não é por maldade. Costumo referir que é "jeito que ficou do berço", que ainda não consegui corrigir, muito embora me esforce para isso. Há um ditado popular que diz que "pau que nasce torto tarde ou nunca se endireita"; quem sabe se não é o meu caso?!
Mas caio em mim e reconheço, umas vezes por mim própria, outras se me chamam a atenção. E procuro refrear-me. Só que, por vezes, dou conta de que já tinha feito faísca! E venho a aperceber-me de que a faísca ficou a calar em restolho de palha seca.
Apenas restolho de palha seca...

20080730

Feliz caminhar para o Senhor

Caminhando pela vida vou cantando
Vou rezando ao meu Deus
E a gente que encontro em meu caminho
Me ensina a ser feliz

Feliz caminhar para o Senhor,
para o Senhor

Sempre a caminhar com muita fé,
com muita fé

Feliz caminhar para o Senhor,
para o Senhor

E no fim, o amor

Caminhando pela vida vou cantado
Vou tentando ser melhor
E aos outros que caminham a meu lado
Vou levando o Teu amor.

20080720

"Alegrai-vos sempre no Senhor"

“Um cristão triste é um triste cristão”
e dá um mau testemunho de uma Igreja que exorta à alegria, e não à tristeza como muitas vezes se ouve dizer por aí.

S. Paulo, na 1.ª Carta aos Tessalonicenses (5, 16) diz:
“Andai sempre alegres”.

Mas será possível a alegria, num mundo tão cheio de problemas?
É que é relativamente fácil alegrarmo-nos quando tudo está bem, quando não há problemas na vida.
O conceito de alegria que vigora na nossa sociedade é de carácter materialista. Mas essa não é a verdadeira alegria.
A verdadeira alegria reside na certeza de que, apesar de todos os infortúnios, somos amados e o nosso amado vive.

Se amamos e somos amados que alegria maior haverá? Mesmo que se esteja longe um do outro, existe a esperança do reencontro, e isso é o que mais importa.

Ora, a alegria do cristão resulta da consciência de que Cristo habita no seu coração, é o seu amado. Deus faz, de um coração que tem amor, a sua morada, e esse coração vive, por isso, na alegria. Portanto, não faz sentido que um cristão não seja alegre, independentemente de quaisquer adversidades.

Uma pessoa que ama e é amada, é alegre. E uma pessoa alegre procura contagiar os outros com a sua alegria, e isso é amor. Torna-se então num ciclo vicioso, amor traz alegria e alegria traz amor. É preciso não quebrar o ciclo.
Há, pois, que amar-nos uns aos outros como Cristo nos amou e permanecer sempre no Seu amor para que a alegria seja completa.
(Cf. Jo 15, 9 – 12)

"Alegrai-vos sempre no Senhor, repito, alegrai-vos." (Fil. 4, 4)

"A alegria é o gigantesco segredo do cristão."
(G. K. Chesterton)

Estou alegre

– Estou alegre...
– Porque estás alegre?
– Estou alegre...
– Diz-me porquê!
– Estou alegre...
– Porque estás alegre?
– Isso querias tu saber...

– Vou contar-te!
– Vais contar-me?!
– A razão de eu estar alegre assim:
Cristo um dia me encontrou
Seu amor me transformou
E por isso alegre estou.
(ouvir)

20080713

Onde cai a semente?

Naquele dia, Jesus saiu de casa, e foi sentar-se nas margens do mar da Galiléia. Numerosas multidões se reuniram em volta dele. Por isso, Jesus entrou numa barca e sentou-se, enquanto a multidão ficava de pé na praia. E Jesus disse muita coisa em parábolas: «O semeador saiu para semear. Enquanto semeava, algumas sementes caíram à beira do caminho, e os passarinhos foram e comeram-nas. Outras sementes caíram em terreno pedregoso, onde não havia muita terra. As sementes logo brotaram, porque a terra não era profunda. Porém, o sol saiu, queimou as plantas, e elas secaram, porque não tinham raiz. Outras sementes caíram no meio dos espinhos, e os espinhos cresceram e sufocaram as plantas. Outras sementes, porém, caíram em terra boa, e renderam cem, sessenta e trinta frutos por um. Quem tem ouvidos, ouça!»

Os discípulos aproximaram-se, e perguntaram a Jesus: «Por que usas parábolas para falar com eles?» Jesus respondeu: «Porque a vós é dado conhecer os mistérios do Reino do Céu, mas a eles não. Pois, a quem tem, será dado ainda mais, será dado em abundância; mas daquele que não tem, será tirado até o pouco que tem. É por isso que eu uso parábolas para falar com eles: assim eles olham e não vêem, ouvem e não escutam nem compreendem. Desse modo se cumpre para eles a profecia de Isaías: ‘Ouvindo ouvireis, mas sem compreender; olhando olhareis, mas sem ver. Porque o coração desse povo se tornou insensível. Endureceram os seus ouvidos e fecharam os seus olhos, para não ver com os olhos, e não ouvir com os ouvidos, não compreender com o coração e não se converter. Assim eles não podem ser curados’. Vós, porém, sois felizes, porque vossos olhos vêem e vossos ouvidos ouvem. Em verdade vos digo: muitos profetas e justos desejaram ver o que vós estais vendo, e não puderam ver; desejaram ouvir o que vós estais ouvindo, e não puderam ouvir.»

«Ouçam, portanto, o que a parábola do semeador quer dizer: Todo aquele que ouve a Palavra do Reino e não a compreende, é como a semente que caiu à beira do caminho: vem o Maligno e rouba o que foi semeado no coração dele. A semente que caiu em terreno pedregoso é aquele que ouve a Palavra, e logo a recebe com alegria. Mas não tem raiz em si mesmo, é inconstante: quando chega uma tribulação ou perseguição por causa da Palavra, ele desiste logo. A semente que caiu no meio dos espinhos é aquele que ouve a Palavra, mas a preocupação do mundo e a ilusão da riqueza sufocam a Palavra, e ela fica sem dar fruto. A semente que caiu em terra boa é aquele que ouve a Palavra e a compreende. Esse com certeza produz fruto. Um dá cem, outro sessenta e outro trinta por um.» (Mt 13,1-23)


"Quem tem ouvidos, ouça"


20080706

Aqui me encontro

Aqui me encontro
Despido de mim mesmo
Tal qual o Homem
Que busca a felicidade
Aqui me encontro
No porto da verdade
Sentindo o mundo
Que perde a felicidade

Eu quero ver o sol a despontar
Ter o sorriso da criança na inocência
E viver a vida e o ideal
Que me conduz de novo à infância


Já não procuro
O caminho inseguro
Tal qual o Homem
Que busca a dignidade
Já encontrei
A verdade de viver
Este sentido de lutar
Esta vontade de ser


ouvir esta canção

20080630

Porque choro eu?!

Não sei bem porquê nem como me envolvo, por vezes, de tal maneira no que leio, que sinto tudo tão real!
Há palavras, situações, lugares, personagens... que sinto meus, dos quais não consigo distanciar-me, por muito que tente.
E quando um livro me começa a cativar posso encantar-me de tal modo, que não descanso enquanto não chegar ao fim.

O Monte Cinco, de Paulo Coelho, teve o poder de me levar às lágrimas. Lágrimas soluçadas, mesmo! Tanto, que no dia seguinte acordei de olhos inchados!

Lições de vida.

«(...) separou os humanos em dois grupos. Os que se alegravam e os que reclamavam do que faziam»

«Quem não faz uma escolha, morre aos olhos do Senhor, embora ainda continue a respirar e a caminhar pelas ruas.»

«Afinal, [Deus] dera aos seus filhos o maior de todos os dons: a capacidade de escolher e de decidir os seus actos.»

«O inevitável acontece sempre.»

«O trabalho manifesta a presença de Deus

«A Ti, Senhor, eu gostaria de regressar neste instante.
Quero louvar-Te com a força da minha vontade, e não com a cobardia de quem não soube escolher um caminho diferente.»

«Cada pessoa será responsável diante dEle, por tudo o que escrever.»

(In: Paulo Coelho, O Monte Cinco)

20080626

Só o amor edifica

Ainda que possa percorrer o mundo inteiro
e aprender a falar muitas línguas na perfeição;

Ainda que possua o dom da palavra e domine todos os assuntos
e consiga desvendar muitos mistérios;
ainda que consiga possuir o segredo da eternidade,

Se não tiver amor, o amor que confia;
se não tiver amor, o amor que é paciente;
Se não tiver o amor, de nada me aproveita.

Ainda que cumpra escrupulosamente a lei e seus ensinamentos
e todos os mandamentos à letra;

Ainda que a minha fé seja capaz de pregar às areias do deserto
ou plantar árvores no meio do oceano,

Se não tiver amor, o amor e as suas feridas;
se não tiver amor, o amor que transfigura;
Se não tiver o amor, nada serei.

Ainda que partilhe todo o meu tempo e até toda a minha vida
e entregue tudo segundo o meu desejo...

Ainda que creia num amanhã sempre possível em qualquer lugar;

Ainda que, sem perder tempo,
rume para um mundo melhor,

Se não tiver amor, o amor e a sua justiça;
se não tiver amor, o amor que é serviço;
Se não tiver o amor, não serei nada!

(Adaptado de 1Cor. 13, 1-13, segundo ideia em O desafio de Viver, SNEC)

20080616

Entre o céu e a terra

Quando o céu e a terra
se tocam
e me desenham

Quando o céu e a terra
sussurram
e me falam

Quando o céu e a terra
se acariciam
e me afagam

Quando o céu e a terra
se beijam
e escrevem em mim

Quando o céu e a terra
apenas se olham
mas me iluminam

Então percebo
que eu própria sou
um pedacinho
de céu e de terra
perdido
entre muitos outros pedacinhos
aos quais tenho que
tocar
sussurrar
acariciar
beijar
olhar

Para que todos juntos
de mãos entrelaças
Possamos participar
de um novo céu
e de uma nova terra!

20080613

Ser sal

"Vós sois o sal da terra!
Ora, se o sal perder o seu sabor, como se há-de salgar?
Já não presta para nada, senão para se deitar fora e ser pisado por quem passa.
Vós sois a luz do mundo: uma cidade situada no alto de um monte não se pode esconder. Nem se acende uma candeia para se colocar debaixo dum alqueire, mas sim, num lugar alto em que alumie bem a todos os que estiverem em casa.
Do mesmo modo, façam brilhar a vossa luz diante de todos, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem vosso Pai, que está nos Céus."
(Mt. 5, 13-16)

É preciso ser sal da terra e luz do mundo...

Sei que tenho que fazer a diferença.
Agora, mais do que nunca, eu não posso parar!



Um ciclo se completou...
Uma nova etapa começa.


Um sonho se concretizou.
Glória ao Senhor!

20080606

Intervalo


(Faço um Intervalo aqui... Para ir ali atrás da imagem)


(Per7ume - Intervalo)

20080601

Às minhas "crianças"... no dia da criança

(Polo Norte - Asa livre)


Como um pássaro que vai
Quando uma porta se abre
Não olhes para trás e vai depressa

Como a noite quando cai
Abraçando a cidade
Deixa simplesmente que aconteça

Abre as asas e vai
Das tuas asas as minhas também
Abre as asas, eu fico bem

(...)

E que a despedida
Seja só o recomeço
Livre asa solta
Voa alto, eu não te esqueço

Abre as asas e vai
Das tuas asas as minhas também
Abre as asas, eu fico bem

Abre as asas e vai
abre as asas eu fico bem
abre as asas

Abre as asas e vai
Das tuas asas as minhas também
Abre as asas
que eu fico bem!

(Na vida tudo se transforma... até a própria vida!)

20080528

Nós... esses ouriços!?!

"No Verão, uma família de ouriços-cacheiros instalou-se na floresta. Fazia muito calor e durante todo o dia abrigavam-se sob as árvores. Brincavam às escondidas entre as flores, apanhavam moscas para se alimentarem e, de noite, dormiam no musgo fofo.

Um dia, viram cair algumas folhas: tinha chegado o Outono. Brincaram, correndo atrás das folhas que caíam em maior número. E, como as noites eram cada vez mais frias, começaram a dormir sobre as folhas mortas.

O frio começou a aumentar. A neve já cobria as folhas e o rio tinha gelado. Os ouriços tiritavam todo o santo dia e, de noite, não pregavam olho.

Decidiram então apertar-se uns contra os outros para ficarem mais quentinhos, mas fugiram pelos quatro cantos da floresta. Porquê? Porque se feriram uns aos outros com os picos que possuíam. Timidamente, aproximaram-se outra vez, mas picaram-se de novo no nariz e nas patas.

De cada vez que tentavam reunir-se sucedia o mesmo, mas era preciso que se unissem, como todos os animais, para ficarem quentinhos. Tinham que arranjar uma forma de se aproximarem. E tentaram; muito suavemente, pouco a pouco, os ouriços foram-se aproximando uns dos outros, baixaram os seus picos e, com muita precaução, encontraram finalmente o ponto exacto de encosto.

Podiam agora juntos enfrentar o vento gelado ou mesmo a fria neve, que já não lhes fariam mal algum. Já dormiriam agora muito bem, porque o calor não voltaria a faltar!"

(Jacinto Jardim, O Método de Animação)

20080525

"Meme"/Biografia em seis palavras


Amor como Caminho.
Deus como Meta!

[Eu, em seis palavras]


Este é o desafio que a Maria me convidou a valsar e que passo a quem se sentir tentado.
Só custa um bocadito a compactar em seis palavritas, mas é interessante a reflexão.

A propósito deixo aqui algumas frases que me tocaram no Evangelho de hoje e que vêm ao encontro da minha maneira de estar na vida.

"Ninguém pode servir a dois senhores, pois ou há-de aborrecer a um e amar o outro, ou há-de unir-se a um e desprezar o outro: não podeis servir a Deus e às riquezas.

Por isso vos digo: não andeis inquietos com vossa vida, pelo que haveis de comer ou beber, nem com vosso corpo, pelo que haveis de vestir: não é a vida mais que o alimento e o corpo mais que a roupa?

Olhai as aves do céu: não semeiam nem ceifam, nem recolhem nos celeiros e vosso Pai celeste as alimenta. Não valeis muito mais que elas?
Considerai como crescem os lírios do campo. Não trabalham nem fiam. Entretanto, eu vos digo que o próprio Salomão no auge de sua glória não se vestiu como eles."

(Do Evangelho de hoje - Mt 6,26-30)

Isto não quer dizer que não tenhamos que fazer pela vida...

não devemos é andar assoberbados com os bens materias, que nos podem levar por caminhos erráticos e de escravidão desses mesmos bens, traduzidos, tantas vezes, em atitudes de completo desprezo pelo nosso semelhante, ao ponto de fazer valer tudo para que o nosso apetite seja satisfeito!

20080521

12 Palavras

Sei que tens o vento por CONSELHEIRO.
Mas vês a MORTE como EXPONENTE maior.
Imaginas uma SILHUETA fantasma, que se vem interpor entre o teu ontem e o teu amanhã.
Tenho PENA dessa VULNERABILIDADE, que vai sendo uma OBSTRUÇÃO àquilo que te deveria preencher totalmente.
No entanto, algo te diz que ainda estás muito a tempo de AFASTAR todo esse ORVALHO que te salpica, de modo a percorrer, sem freio, toda a imensa TAPEÇARIA que tens pela frente.
Faz isso!
É o vento que te sussurra que ainda agora é MANHÃ e que o sol mal começou a ensaiar os seus primeiros passos de CRIANÇA.
Não fujas de o escutar mais uma vez!

XVII texto do 3.º Jogo das 12 Palavras

20080518

Momentos únicos

Na mesma Família
Com o mesmo Pai



"O mesmo Pai
A mesma família
Trazemos cá dentro
No peito a vibrar
E se esquecermos
Esta maravilha
Teu amor
Nos faça lembrar"




Foram mesmo únicos os momentos que vivi este fim de semana!

20080513

"Sobre os braços da azinheira"

Nossa Senhora de Fátima, protegei a Igreja.

Nossa Senhora de Fátima, dai paz e amor ao mundo.

Nossa Senhora de Fátima, intercedei pelos pobres e oprimidos.

Nossa Senhora de Fátima, salvai Portugal.

20080510

(...)



Onde as palavras falham, a música fala.
(Hans Christian Andersen)



Emmanuel - Vídeo no Youtube

Emmanuel - Hino JMJ Roma 2000

20080506

Teimosa...



Rebelde lágrima que teimas em cair
Que me pões um nó na garganta que não quer sair
Que me apertas o coração ainda que me faças sorrir

Saudade que me bate
Angústia que me toca
Vazio que me tolhe
Ausência que me sufoca

Um néctar de horizonte
Uma centelha de dia
Uma essência de rosa

Contigo atravesso a ponte
Completas-me a alegria
Mas és lágrima teimosa

20080504

Dia da Mãe... Coruja



Coimbra - Queima 2008


Carro 8 - Desporto - FCDEFUC
~~ O fim de uma etapa ~~

Carro 75 - Arte e Design - ESEC
~~ O princípio de outra ~~

Tão lindos!
O meu orgulho!

A minha melhor prenda, hoje!

20080502

Maio, mês de...








TERÇO

Avé Maria,
cheia de graça,
o Senhor é convosco.
Bendita sois vós entre as mulheres
e bendito é o fruto do vosso ventre: Jesus.
Santa Maria, Mãe de Deus,
rogai por nós, pecadores,
agora e na hora da nossa morte.
Amén.

20080426

"Nem Pai-Nosso nem Ave-maria"

"Não ensines os teus filhos sobre religião... outros tratarão de os ensinar por ti"
In: Uma discussão com muito interesse
Aqui


Pergunto-me:

Se quero o melhor para os meus filhos, não terei o dever (e o direito) de os educar nos valores em que acredito?

Não é aos pais que cabe o principal papel da educação dos filhos?

Vou deixar toda a sua educação, em matéria de religião, de moral e, até, de sexo e de comportamentos de risco, nas mãos de terceiros?

E depois queixam-se de que há uma grande crise de valores!

20080425

Dúvida...



Senhor!
Tenho uma dúvida terrível:
as gaiolas servem para guardar alguém dentro delas
ou para conservar os outros de fora?
Basta reparar
de que lado está a fechadura.
Se todos fossem bons
ninguém mais
precisaria de uma gaiola...

Senhor,
dá ao mundo
mais clareza
de ideias.


(In: Angela Toigo, Um rato fala com Deus)

20080423

Falar verdade a brincar...

Nesta viagem a que chamamos vida, quantas vezes não deslizamos, escorregamos, derrapamos, em piso molhado, saturado de sabão?

Vai-se subindo degrau a degrau à procura de um lugar ao sol ou de uma sombra refrescante.
Mas o meio envolvente está pronto a pregar-nos partidas e é precisa toda a atenção.

Cada estrada que se percorre ou cada degrau que se sobe, não é mais do que uma ténue linha de seda entre o que se sabe e o que se desconhece.
Do lado de lá, a doce tentação - uma caixa de bombons de chocolate e um bouquet de flores.


Mal nos aproximamos e eis que, sem pedir licença, uma abelha escondida numa flor, vem ferrar-nos o nariz, quando, daquela, apenas queríamos o odor!

[Meu texto enviado ao 2.º jogo das 12 palavras (Texto V) ]

20080419

Vem Espírito de Amor

O amor que o Espírito me dá,
a força que tem p’ra mudar,
Quando me afasto ensina-me a caminhar,
A minha vida nas mãos de Deus quer ficar.
Sol da minha vida, quantas vezes me senti perdido
Cego na escuridão sem encontrar um caminho.


Vem Espírito de amor
Ilumina a minha vida,
Vem encher de calor esta alma sofrida.
Vem Espírito de amor
Ilumina a minha vida,
Vem encher de calor esta alma sofrida.



O fogo que desceu do céu,
mostra como falar de Deus
Sem medo, sem vergonha eu quero gritar,
Senhor, meu Deus, a Ti sempre quero amar.
Sinto a Tua força, enches-me com a Tua paz,
Sei que estou seguro que sempre me guiarás.

Espírito de amor /SDPJ Lisboa, 
letra de Vítor Duro e Víctor Palma, música de Víctor Palma
Download da música aqui

Pauta com solo de flauta

20080413

Meme literário

Recebi este Meme de Ecclesiae Dei e do Joaquim.
Este Meme pretende que se escolha cinco autores preferidos, e um que mereça apodrecer na estante.

Depois de vasculhar na estante da minha memória aqui deixo alguns. Poderia referir outros pois, por vezes, não é bem o autor que me induz a comprar determinado livro. Tem mais a ver com o que espero, em determinada altura, que essa leitura me venha a proporcionar. Também, se começo a ler um livro e este não corresponde ao esperado, dificilmente o levarei até ao fim ou voltarei a querer ler outro do mesmo autor.

Autores:

dos livros da Bíblia – Porque inspirados por um Autor Maior, e a Palavra de Deus é companhia que não se pode dispensar.

Dorothy Gilman – pelo mistério, o suspense, o enredo das aventuras que conta.

Nicholas Sparks
e
Robert James Waller – porque gosto de ler livros pelo prazer e emoção que me trazem, e estes autores tão bem os despertam em mim.

Júlio Dinis – pelo tipo de escrita realista que, de alguma maneira, me marcou nos romances que li na adolescência.

O que deixaria apodrecer na estante, neste momento (se pudesse)… Saramago – porque me estou a ver à rasca para ler O Memorial do Convento e não gosto de ler por obrigação.


Como devo passar este Meme para mais alguém, desafio os meus comentadores(as) que ainda o não tenham feito.

Quero ver quem gosta de ler quem ;)

20080410

Experiências



Brinquei ao 1.º Jogo das 12 Palavras com o texto XIX

Foi uma experiência...

... outra experiência, que tinha meio abandonada e que resolvi retomar

... porque às vezes é preciso arejar!

20080406

Incoerências

Se já não andava muito bem, hoje piorei!
Estou aqui que nem posso. Chateada, aborrecida. Estou arrasada. Gasta, sufocada, perdida, estoirada… mas não vencida!

Eu, incrédula, ainda não me tinha dado bem conta da dimensão da superficialidade da vivência cristã, nos nossos dias.
Como é que se chega a um 10.º ano da Catequese, em vésperas de se receber o Sacramento da Confirmação, em completa contestação às leis da Igreja, às quais se chama “esta porcaria”?!!!

Que moverá alguns adolescentes a fazer o Crisma?

Ao abordar assuntos referentes ao recebimento deste Sacramento, nomeadamente no tocante ao perfil dos padrinhos, instalou-se a polémica.

Afinal para que serve um padrinho ou madrinha de Crisma? Não será para, entre outras coisas, lhe transmitir a sua vida cristã? Poderá alguém dar aquilo que não tem?
Já nem falo nas polémicas de anos anteriores, em que queriam à força ter um padrinho de Crisma sem ser ele próprio crismado! Parece que isso já entenderam. O que parece não terem entendido, ainda, é que para se transmitir vida cristã, tem que se viver como cristão. E o que é viver como cristão é que ainda não entrou bem na cabeça das pessoas.

Os Mandamentos da lei de Deus não são fáceis de cumprir. Muito embora se possam resumir a dois: amar a Deus e amar o próximo, eles são dez, que ditam regras de conduta que tem que ser seguida. Sabemos que a fragilidade humana nos coloca pedras no caminho que nos fazem tropeçar e que, muitas vezes, “não fazemos o bem que queremos e fazemos o mal que não queremos”. “O justo peca sete vezes ao dia”. Mas sabemos também que Deus nunca nos abandona. Os Sacramentos que nos deixou são disso prova. Se sentimos a consciência pesada devemos abeirar-nos do Sacramento da Reconciliação que restaura em nós a pureza perdida.

Mas a consciência só nos acusa daquilo em que nós sabemos que falhámos. E as mentalidades de hoje começam a encarar com completa normalidade aquilo que não o é!

Um dos requisitos para os padrinhos do Crisma é serem pessoas que, se casadas, que o sejam pelo Sacramento do Matrimónio e não apenas pelo civil, ou se solteiras, que não vivam maritalmente com ninguém. Ora, foi neste ponto que a bomba estoirou.

Se se é cristão, faz sentido que se siga a Cristo e a sua doutrina. Para quem não é cristão, não faz sentido seguir essa doutrina. Se se é cristão, no tocante ao casamento, faz sentido que se receba o Sacramento do Matrimónio. Se não for cristão, casar pela Igreja é uma incoerência. Tal como é uma incoerência, no caso de se dizer Cristão, viver maritalmente sem receber este Sacramento ou antes de o receber.

Como é que se pode avaliar se uma pessoa vive ou não cristãmente?
Certamente que os sinais exteriores darão alguma indicação. Mas quem sou eu para ajuizar o que quer que seja?

Deixei a minha advertência. Aconselhei a que fosse procurada ajuda espiritual, por exemplo através da Confissão. O que um catequista ensina é em nome da Igreja e não em seu nome pessoal.

Atiraram-me com “ponho as minhas mãos no lume em como a Igreja daqui a alguns anos não terá ninguém.”

Mas afinal, é a Igreja, fundada por Cristo, que segue a doutrina deixada por Cristo, que deve moldar-se à mentalidade da sociedade civil? Aos apetites inconstantes das pessoas? Não serão as pessoas que têm que decidir se querem viver segundo estes ensinamentos ou não? Seguem-nos, se sentem esse chamamento e necessidade, mesmo sabendo que correm o risco de tropeçar, pois sabem que Jesus está sempre connosco em Espírito Santo, para nos ajudar nas nossas fraquezas.

Quem achar que este é um caminho demasiado estreito, que não o force para que seja uma estrada larga de facilidades, pois nunca o será.

Muito mais poderia aqui referir de todo o bate-boca que se gerou. Muito mais aqui escrevi e acabei por apagar. Estou cansada. Às vezes dá-me vontade de fazer como Jesus quando expulsou os vendilhões do Templo. Outras vezes dá-me vontade de desistir desta “gente de pouca fé”. Sou fraca, imperfeita, pecadora. Espero que Deus me dê a força necessária a “travar o bom combate”, porque sei que vai sobrar para mim!

20080401

Sinais dos tempos(?)

Os tempos andam conturbados…
Tudo nos empurra para o materialismo, o individualismo, o ter…
Move-nos o alcançar mais do que o nosso vizinho.

Quando vou de férias quero poder gastar à farta e de regresso poder ostentar aos amigos quanto gastei. Assim, sim, as minhas férias foram as maiores porque numa semana gastei mais do que o meu vizinho em três. Isto é que são férias! Se tiver que contar os trocados nem me divirto nem descanso!
Quero a moto-quatro; o carocha; o dona Elvira; o BMW; o SLK; mulheres…
a mansão onde não se toca na decoração feita pelo decorador mais conceituado, nem se cozinha, para que tudo esteja sempre impecável… nada de crianças em casa…
quero a piscina aquecida; a casa na praia; a choupana na serra…
e já agora o barco de recreio; o helicóptero…
Isto é que é vida!
Onde é que arranjo dinheiro para isto tudo? Que importa?! Alguém há-de pagar…

(Hoje estou particularmente venenosa! Deve ser por me faltar a Net em casa…)
Raio! Não vivo sem isso!

Pergunto-me quem sou eu e o que faço aqui num mundo destes?

Decididamente ando fora do mapa!

Quando me debruço sobre a pobreza que grassa pelo mundo e em Portugal, fico estupefacta com os números e com a falta de vontade política para resolver esta questão.
Pudera! A fome do “ter” e do “poder” é tão grande, que ultrapassa de longe a fome dos bens de primeira necessidade! Por isso é que 20% da população mundial detém 82,7% da riqueza do mundo, enquanto os 20% mais pobres vivem mergulhados na miséria, tentando sobreviver com menos de um dólar por dia.
E, no entanto, nos últimos 50 anos as riquezas do Planeta foram multiplicadas por 7.
Isto brada aos céus! O bem de uns é o mal de outros!...

É a indiferença o que caracteriza esta sociedade. As pessoas vivem em função do que dá dinheiro. Ninguém faz nada de graça. Quem quiser que se “amanhe”…
Podemos dizer que os nossos tempos são “insossos”, porque lhes falta o tempero da gratuitidade, do fazer sem nada esperar em troca.
Daí resulta o pessimismo, o medo do futuro, a insegurança pessoal e colectiva…
Tudo isto demonstra o “apagão” interior em que vivem muitas pessoas. Ou seja, por vezes o estado do coração das pessoas é tal que não vêem “um palmo à frente do nariz”, nem uma “luz ao fundo do túnel”.

É preciso dizer que, felizmente, muitas pessoas ainda são capazes de ter em si o tempero e a luz necessários à sua vida, e assim vão experimentando o caminho da felicidade.

O cristão é chamado a ser “sal da terra” e “luz do mundo”, o que num contexto assim se revela uma tarefa deveras difícil.
De qualquer modo, acho que quem, apesar de todas as contrariedades, consegue encontrar o norte, não quererá fazer o caminho sozinho, gostará que outros também o percorram.

Sabemos bem que a palavra só não basta, o “olha para o que eu digo e não para o que eu faço” não resulta. Importa, sim, é o exemplo que se dá, o colaborar consciente e assumidamente na promoção da dignidade da pessoa humana e da família, no compromisso com o desenvolvimento económico e social, na promoção da justiça, passando até pelo empenhamento na política, entre outros.

Agora, sozinho ninguém consegue nada!
Quem não vive a sua fé em comunidade, dificilmente a testemunhará nestes ambientes sem sal nem luz. Em Cristo, verdadeira luz e verdadeiro sal é que encontramos a força necessária para actuar.

Incorporados na Igreja pela fé e pelo baptismo, os cristãos não se podem escusar a ser sal que tempera e dá gosto à vida, e luz que ilumina as razões de ser e viver no mundo.

20080329

Philia ou o valor da amizade

"Pois é dando que se recebe
É perdoando que se é perdoado
E é morrendo que se vive
Para a vida eterna."
(S. Francisco)


(Imagem daqui)

Hoje deu-me para discorrer brevemente sobre a amizade em:
Ticho e amigos

20080325

Rio

Que rio é este
Que teima em correr
Serpentear?

Rio alado
Açodado
Caudaloso
Revoltoso como o mar
Conturbado
Nutrido de rápidos
Mas de lagos de luar

Este rio
Que me escorre
Que me lava
Que me rega
Me dá vida

Este rio
Que sou
Onde estou
Onde vou

De onde vem
E para onde corre
Este rio
Que corre em mim?

20080323

23.03.196_

- Ó Toino! – chamou – corre a casa da avó… que venha cá depressa… depressa!... que está na hora...
Era de manhãzinha ainda. Março, tempo de cheias ao campo.

No dia anterior, António tinha ido ao peixe. Ela preocupara-se. Era tarde e o filho mais novo não regressava. As chuvas tinham sido muitas e a cheia era grande.
- Ai, que ele afogou-se por lá!...
Mas, por fim, já rente à noite, lá chegava ele. Carregado. De balde cheio e rodafole às costas. Ela acalmou. Ao jantar, saciou-se com a pescaria.


É chegado o momento.
- Maria… força! Agora! – ajuda a sogra.
Mas ela estava aflita. Destreinada.
Tinham passado quase quinze anos desde a última vez. Sentia-se cansada, velha para estas coisas. Só que agora era tarde de mais. Não havia volta a dar, e tinha que colaborar.

- Agora!... Força!...

- Uaaaaaá… Uaaaaaá…

Uma luz!

- É menina! Desta vez é menina!
Ainda não dava para acreditar!

Diz ela, sempre, que a filha nasceu com uma barrigada de robacos e camarões.

Anos depois, no mesmo dia, é Domingo de Páscoa!
Jesus Ressuscitou! Está vivo. Aleluia!

Uma Luz!

Uma luz não se acende para colocar debaixo do alqueire!



Do mesmo modo, o nascer e o morrer não podem ser em vão!

20080319

O Cantar das Almas

A Quaresma é um tempo propício a gestos exteriores de oração e penitência: Jejum, Abstinência, Via-sacra, Celebração da Reconciliação em Comunidade…

Por algumas localidades mantém-se, ainda, uma antiga tradição: O Cantar das Almas.
Este cantar, que se faz de porta em porta pela noite adentro, tem como principal objectivo o de pedir ao Senhor pelas Almas do Purgatório, no momento em que é feito e, também, com a angariação de fundos para celebração de missas pelas mesmas almas.
Uma parte do dinheiro recolhido pode ainda ser destinado a alguma outra finalidade identificada previamente como necessidade.
Além disso, é um despertar de consciências pela condição de pecadores, em ordem à salvação de todos.

Por cá, esta tradição já não é o que era…
Uns anos com mais força, outros nem por isso. Este ano, nem por isso…
Mas acho que esta seria uma tradição a manter.

Não quis deixar passar esta Quaresma sem partilhar a letra que se costuma cantar por aqui, para que quem não conhece fique com uma pequena ideia.


Acordai fiéis cristãos, desse sono em que estais
Que vos bate Deus à porta, vós dormindo, ressonais.

Vós dormindo ressonais, na torpeza do pecado
Olha lá não amanheças, no inferno sepultado

No inferno sepultado, não hei-de eu amanhecer
Que a Virgem Nossa Senhora, é que nos há-de valer

A Virgem Nossa Senhora, nos aceite estas passadas
Que nós andamos pedindo, para as almas necessitadas

À Porta das Almas Santas, bate Deus a toda a hora
E as almas lhe responderam, meu Senhor que quereis agora

Quero que deixeis o mundo, e que vamos para a glória
Na companhia de Deus, levai-nos em boa hora

Ó meu Deus ó meu Senhor, ai Jesus quem se lá vira
Na companhia dos Anjos, e mais da Virgem Maria

Já o Sacrário está aberto, já o meu Deus lá está dentro
Adoremos, adoremos, o Divino Sacramento

O Divino Sacramento é o Supremo Senhor
Adoremos, adoremos, Jesus Cristo Redentor

Ó que Sacrário tão lindo, todo dourado por fora
Adoremos, adoremos, o Divino Rei da Glória

Ó que Sacrário tão lindo, ouro tão bem empregado
Onde esteve Jesus Cristo, nove meses encerrado

Bendita louvada seja, a Santíssima Trindade
E que por nós veio ao mundo, ó Virgem da Piedade

Ó Virgem da Piedade, a devoção nos obriga
De rezar às Almas Santas, rezemos com alegria

Homens, mulheres e meninos, este povo auditório
Dai a esmola se puderes, pr’às Almas do Purgatório

Como Lázaro vos pedem, que lhes não deis as fazendas
Que lhes deis as migalhinhas, que crescem das vossas mesas

Esses bens que possuirdes reparti-os em vossa vida
Lá os achareis na glória, quando fordes à partida

Nós havemos de morrer, sabe Deus pra onde iremos
Das Almas do Purgatório é bom que nós nos lembremos

Que atormentados de dor, continuam a padecer
Assim são as Almas Santas no Purgatório a arder

Dai a esmola se puderes, se com devoção a dais
Já lá tendes vossas mães, vossos filhos vossos pais

Essa esmola que vós dais, não cuideis que a gastemos
É para missas pr’às almas, é devoção que nós temos

Ajoelhemos por terra, já não somos os primeiros
Vem na nossa companhia Jesus Cristo verdadeiro

Jesus Cristo verdadeiro é o único Senhor
Salvai-nos as nossas almas quando deste mundo forem

Ó Almas Santas benditas peçam a Nosso Senhor
Que esta nossa oração seja em Vosso Louvor

Seja em Vosso Louvor, e mais da Virgem Maria
Pelas Almas um Pai-Nosso, e por elas Avé-Maria
(Ajoelham todos e rezam um Pai-Nosso e uma Avé-Maria)

Vós destes a esmola, deste-a com devoção
Dos Anjos tereis o prémio, lá no Céu a salvação

Seja pelas Benditas Almas, que no Purgatório estão
A Virgem Nossa Senhora, nos aceite a oração.

20080315

Verdade ou mentira?

Verdade e justiça são conflituosas, porque opositoras da mentira e da injustiça.

O estar de bem com tudo e com todos poderá ser suspeito, na medida em que pode ser um compactuar com as situações, mascarado de caridade, de amor.

Amar sim. Sempre. Por isso, em certas situações tem que se chamar à atenção, denunciar. O conflito, provocado pela mentira do mundo, é necessário, para que se salve o mundo dela.

O Cristão, pelo facto de ter o amor no centro das suas atitudes, não pode "fechar os olhos" nem calar-se perante tudo, sob a capa de um amor tolerante, para ficar de bem com todos, para não entrar em conflitos, para não ser apelidado de mau e de outras coisas. Se o fizer, está a ser cobarde e hipócrita.

Quem ama, porque ama, não se acomoda perante todas as situações. Procura corrigir o que sabe que está errado, mesmo que com isso tenha que gerar conflitos, pequenas guerras.

Acho que, se em vez de se enfrentarem certas situações que se acham contrárias ao que se tem por correcto, se optar por calar, por deixar correr, porque se pensa que não adiantará nada, ou que assim não se está a amar as pessoas (as quais podem estar a agir de determinada maneira por maldade, mas também por desconhecimento ou ignorância...), pode-se estar a gerar uma falsa harmonia que, mais tarde ou mais cedo, acabará por rebentar.

“Julgais que Eu vim estabelecer a paz na Terra? Não, digo-vo-lo Eu, foi antes a divisão. Porque daqui em diante estarão cinco divididos numa só casa: Três contra dois e dois contra três; dividir-se-ão o pai contra o filho e o filho contra o pai, a mãe contra a filha e a filha contra a mãe, a sogra contra a nora e a nora contra a sogra”.
(Lc. 12, 51–53)

Por isso já alguém me chamou de “veneno”... e não só!
Mas não me importo muito. Serei assim, algumas vezes por imperfeição, mas a maioria por amor.

Podes partilhar também aqui as tuas palavras